Contra a extinção, projeto leva dois novos peixes-boi para APA Costa dos Corais

18/10/2016
By partes15


O recinto de aclimatação do Rio Tatuamunha, em Alagoas, recebeu na última sexta-feira dois peixes-boi para monitoramento e adaptação antes de serem devolvidos à natureza pela equipe do ICMBio

Na última sexta-feira, dia 14, o recinto de aclimatação do Rio Tatuamunha em Porto de Pedras, Alagoas, recebeu dois novos peixes-boi, Ivi e Diogo. Os animais foram translocados do cativeiro de reabilitação na Ilha de Itamaracá, Pernambuco, para o cativeiro de aclimatação em ambiente natural do município alagoano pelo Programa Peixe-Boi Marinho do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio, que tem o apoio da Fundação Toyota do Brasil e da SOS Mata Atlântica no projeto Toyota APA Costa dos Corais. Ivi e Diogo devem passar por processo de adaptação em seu habitat até estarem prontos para voltar à natureza.

“O recinto de aclimatação foi criado para gerar o mínimo de impacto possível, permitindo o aprendizado dos animais cativos às alterações como mudanças de marés, temperaturas e salinidade da água. Além disso, os animais já reintroduzidos constantemente frequentam os arredores do recinto, interagindo com os animais cativos. Este fato proporciona uma vocalização dos animais já adaptados com os em fase de adaptação, possibilitando o aprendizado destes animais”, revela Iran Normande, chefe da APA e responsável pelo Programa Peixe-boi marinho na Unidade de Conservação.

Ivi foi resgatada em Areia Branca pela equipe do Projeto Cetáceos da Costa Branca/UERN e estabilizada na Aquasis (Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos) antes de ser transferida para a base do ICMBio em Itamaracá. Com idade aproximada de três anos e meio, ela pesa cerca de 443 quilos e 265 centímetros de comprimento total. Diogo é um macho de aproximadamente seis anos, que encalhou na praia Diogo Lopes, no Rio Grande do Norte e foi resgatado pela equipe do PCCB/UERN. Após reabilitação na Aquasis foi transferido para a base do ICMBio. Até os quatro anos de idade o animal aceitava apenas a mamadeira como alimento e, após um período de treinamento pela equipe de veterinários e tratadores, passou a aceitar os demais alimentos ofertados. Atualmente encontra-se tota lmente desmamado e com boa interação com os demais animais do recinto para translocação.

“A translocação de Ivi é fundamental para o nosso programa de reintrodução e aumento populacional de peixes-boi na região. Nos últimos anos o número de machos transportados foi superior ao de fêmeas. O local tem se mostrado bastante eficiente, principalmente, na reprodução da espécie tendo como base o nascimento do primeiro filhote no Rio Tatuamunha de uma fêmea reintroduzida em 2009”, completa o chefe da APA.

Para Ricardo Bastos, presidente da Fundação Toyota do Brasil, a ação fortalece a parceria entre a organização e as entidades locais. “Essas ações nos deixam muito felizes e animados em trabalhar com organizações sérias e comprometidas. A Fundação Toyota vai continuar apostando em ações e parceiros, realizando práticas verdadeiramente sustentáveis com foco na formação de cidadãos e na preservação do meio ambiente”, afirma.

Animais encalhados

O Instituto Biota de Conservação, uma das entidades locais parceiras do projeto Toyota APA Costa dos Corais, desenvolveu um aplicativo para que a população possa ajudar no resgaste de tartarugas marinhas e mamíferos aquáticos, trata-se do Biota Mar. O aplicativo foi criado para auxiliar no trabalho de monitoramento do instituto, além de agilizar a chegada até o animal. A ferramenta é compatível com as plataformas Android e iOS. Para realizar o download, localize o aplicativo Biota Mar na área de pesquisa do Google Play, para Android, ou do App Store, para iOS e clique em Instalar.

Com o objetivo de promover a conservação dos mamíferos aquáticos, nas últimas semanas, o Instituto Biota tem realizado a campanha ‘Encalhou?!’ para orientar a população a baixar o aplicativo e a realizar o procedimento adequado, registrando uma foto e informando a localização no animal. “Por meio de uma foto e localização é possível identificarmos as condições básicas do animal. Assim agilizamos nosso processo de armazenamento do banco de dados e também, se for o caso de um animal vivo, de chegar até ele mais rapidamente” conta Bruno Stefanis, presidente do instituto.

Todos os dados registrados na plataforma tais como áreas frequentes de encalhe e pontos com maior incidência de desova serão compilados e fornecidos para o ICMBio como forma de apresentar estratégias e ações de conservação das tartarugas marinhas e mamíferos aquáticos.

Desde 2011, o Toyota APA Costa dos Corais protege recifes de corais, conserva as áreas de manguezais e o habitat do peixe-boi marinho, um dos mamíferos aquáticos mais ameaçados de extinção, além de promover a formação consciente de cidadãos e a capacitação de profissionais na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais.

Sobre a Fundação Toyota do Brasil

Criada em abril de 2009, a Fundação Toyota do Brasil atua na preservação ambiental e formação de cidadãos. Além das novas iniciativas surgidas com a sua instituição, a Fundação Toyota do Brasil unificou e ampliou todos os projetos de responsabilidade social em andamento, que estavam sob a responsabilidade da montadora Toyota do Brasil.

Nacionalmente, a Fundação Toyota do Brasil patrocina desde 2009 o Projeto Toyota APA Costa dos Corais, em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do governo federal. O projeto prioriza a conservação dos recifes de corais e ecossistemas associados ao peixe-boi marinho em uma área de 413 mil hectares nos estados de Alagoas e Pernambuco.

No Pantanal sul-mato-grossense, o apoio de mais de duas décadas ao Projeto Arara Azul nas atividades de proteção e monitoramento da espécie retirou, em 2014, a ave da Lista de Espécies da Fauna Brasileira

Ameaçadas de Extinção. Na década de 90, especialistas contabilizavam cerca de 1.500 aves e hoje, com o apoio da Toyota, estima-se uma população de 5 mil aves naquela região.

Localmente, a entidade agrega ainda as ações sociais implantadas e mantidas nas comunidades onde a empresa possui unidades, como Indaiatuba (SP), Guaíba (RS), Porto Feliz (SP), Sorocaba (SP) e São Bernardo do Campo (SP). As iniciativas compreendem as áreas de educação, meio ambiente e cultura, e contam com o apoio dos colaboradores da empresa como voluntários.

Para mais informações, visite o site da Fundação Toyota do Brasil na internet www.fundacaotoyotadobrasil.org.br.

Related posts:

  1. Operação contra crimes ambientais no Ceará
  2. Lula defende CAB como regra para novos empreendimentos hidrelétricos do Brasil
  3. Ethos convoca para ato público contra MP 458
  4. Manifestantes ocupam gramado do Congresso para protestar contra aprovação do novo Código Florestal
  5. Pesquisa mostra a provável extinção de 47 aves na região metropolitana de Belém nos últimos 200 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

 

outubro 2016
S T Q Q S S D
« jun   nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Pod água

Contribua

Publicidade