Desmatamento em junho de 2008






Comentários de Roberto Smeraldi – diretor da OSCIP Amigos da Terra – Amazônia Brasileira – a respeito da divulgação das estimativas preliminares sobre desmatamento em junho de 2008. “Ambos os sistemas (DETER/INPE e SAD/IMAZON) apontam para aumento no desmatamento consolidado neste ano (entre agosto/07 e junho/08) em relação ao período anterior: o que muda é […]






Ribeirinhos, desenvolvimento e a sustentabilidade possível






Ribeirinhos, desenvolvimento e a sustentabilidade possível 19/03/2008 Por Josélia Gomes Neves publicado originalmente em 2005 e republicado em 19/03/2008 Por via prazerosa, o homem da Amazônia percorre pacientemente as inúmeras curvas dos rios, ultrapassando a solidão de suas várzeas pouco povoadas e plenas de incontáveis tonalidades de verdes, da linha do horizonte que parece confinar […]






Ribeirinhos, desenvolvimento e a sustentabilidade possível






Por Josélia Gomes Neves publicado originalmente em 2005 e republicado em 19/03/2008 Por via prazerosa, o homem da Amazônia percorre pacientemente as inúmeras curvas dos rios, ultrapassando a solidão de suas várzeas pouco povoadas e plenas de incontáveis tonalidades de verdes, da linha do horizonte que parece confinar com o eterno, da grandeza que envolve […]






A devastação da Amazônia está apenas começando






Partes entrevistou, por e-mail, Rodolfo Salm, biólogo e pesquisador do Projeto Pinkaiti. Rodolfo explica o que é o projeto e afirma que “o grande desafio é convencer as pessoas de que a floresta deve ser preservada a todo custo”. O biólogo Rodolfo está redigindo sua tese de doutorado sobre a ecologia de palmeiras da grande […]






Amazônia: negócios e devastação






  Rodolfo Salm Acabei de voltar de Boa Vista do Ramos, onde fui representar o Projeto Pinkaití e a comunidade A’Ukre no “IV Encontro de Manejo Florestal Comunitário”. Mais do que decepcionado, eu fiquei assustado com o que vi. A região de Boa vista fica na margem sul do rio Amazonas, a meio caminho entre […]






Índios Xikrin-Kaiapó colhem os resultados do manejo florestal sustentável






Nas últimas duas décadas, o setor madeireiro tem se mostrado especialmente predatório na região amazônica, principalmente no sul do Pará, habitada pelos índios Kaiapó. As terras dessas comunidades vêm sendo sistematicamente invadidas e degradadas, em alguns casos com a anuência dos próprios líderes indígenas. Esse modelo predatório nem sempre garante retorno financeiro justo para as comunidades e a falta de preocupação com a proteção ambiental põe em risco a sobrevivência futura destes povos.